Mineiros e o preço da ganância

Espero que você tenha acompanhado todo o trabalho para o resgate dos mineiros presos a 630m de profundidade no Chile. Trabalhadores de uma mineradora com dificuldades financeiras, eles estavam presos há mais de dois meses, recebendo apoio dos de fora, mas ao olhar para uma situação dessas, podemos nos questionar sobre o valor das coisas. Esses mineiros, como milhares de outros no mundo, são vítimas da ganância humana. Visando o lucro e esquecendo-se do que realmente importa, o homem se coloca em situações nas quais o preço é sua vida.

A eterna busca pelo ter é o grande problema. Vazio de um significado que vá além dessa vida, o ser humano busca algo que o complete. Nessa busca, seus olhos se voltam para a riqueza, posses e bens que lhes confiram significado. Não é difícil de se entender o porque de tantas pessoas definirem outras por sua posição social. Na falta de parâmetros éticos, fundamentados na fé em um Deus superior e fonte do conceito de certo e errado, os gananciosos definem sua ética com base no direito de posse e no valor que as coisas conferem às pessoas, e não o inverso.

Agora vejam só, uma empresa se presta ao papel de arriscar vidas humanas para extrair minério. Isso já é tão comum que nem mais faz cócegas em nossas mentes cauterizadas pelos atrativos da vida pós-moderna. Já percebemos que nosso consumismo alimenta essa constante extração de valores de nosso planeta, não só degradando nosso habitat, mas degradando o homem e cobrando-lhe um preço muito alto. Será que um quilo de ouro, dez toneladas de minério de ferro, ou o que quer que seja vale a vida de um ser humano? Pois esse é o preço que pagamos para termos talheres, mobília, carros e eletrodomésticos.

Talvez você tenha pena desses mineiros chilenos, mas eles são os de sorte. Coitados são os familiares dos milhares de mineiros que morrem todos os anos na China, para que você tenha produtos importados, baratos e abundantes em sua casa. O fato é que não só os diretamente envolvidos nesses desastres é que estão pagando o preço da ganância; toda a humanidade, ao alimentar esse ciclo de usura, extração e morte, vitima valores, princípios e o próximo. Portanto, pense bem antes de comprar e jogar fora por qualquer defeito ou por porque o eletrônico ficou sem baterias, o que parece uma simples troca, pode ter o peso de uma vida.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

"Alegrei-me quando me disseram: vamos à casa do Senhor" (Sl 122.1)

Qualidades essenciais do conselheiro cristão

O conceito bíblico de liberdade